Thursday, 16 November 2006

It's my party and I cry if I want to

Ontem no dia 15 de Novembro fiz anos, alias como tem vindo a acontecer à 32 anos. Penso que isto é um mal que nasce com todas as pessoas e é por isso que ficamos mais velhos todos os anos, todos os meses, todos os dias, todas as horas, todos os minutos e segundos.
Mas eu nasci com um outro problema...não há conhecimento, pelo menos desde 1974, de um dia 15 de Novembro com Sol, só me recordo das inundações...alias revejam esta ultima semana:
Segunda-feira: Céu limpo e temperatura mto agradavel principalemente para esta época do ano
Terça-feira: Céu limpo e temperatura mto agradavel para véspera de dia 15/11
Quarta-feira: Não saiam de casa sem a gabardine, galochas e o barco porque o tempo vai estar uma merda!
Quinta-feira: Céu completamente limpo, azul e nem parece que choveu horrores na véspera.
Só pode ser de propósito!!! E depois lá aparece o mau feitiu, sim porque eu sou feliz com o Sol, com o bom tempo, sou mulher da natureza, campo ou praia, e a chuva no meu dia de anos deprime-me lembra-me das pessoas que perdi, das que nunca cheguei a ter, das que eu quero acreditar que tenho e que tb não tenho, dos que se esqueceram de me dar os parabéns, dos que compraram presentes só porque tinham que dar qualquer coisita, do desespero de andar atrás dos supostos amigos para confirmar a presença no jantar de anos. O dia de anos é único dia que é suposto ser nosso, ser especial em 365 ou 366 dias. Bullshit venderam-me esta história em criança. O aniversário é uma treta e só tem sido motivo para eu ter pelo menos um dia horrivel por ano. Mas a culpa é toda minha, idealizo, sonho e depois nada corresponde, não consigo relaxar, "go with the wind" é tudo um stress uma complicação e isto porque? porque no meu dia de anos tento agradar a todos...menos a mim.
Em 32 anos lembro-me com carinho de 3 datas de aniversário:
1º foi no Brasil em que os visinhos do meu prédio organizaram-me uma festa surpresa, conhecia apenas o meu irmão, recebi presentes de todos e fui o centro das atenções...adorei
2º foi nos meus 30 anos em que fiz um jantar e foi toda a gente, e todos queriam estar comigo! foi o máximo, ainda consegui fazer uma exibição de dança do ventre, correu lindamente, alias como se pode ver na foto em anexo.
3º foi no ano passado, no meu primeiro ano de namoro com o Luis. Ele organizou-me uma festa surpresa...e foi mesmo, nem queria acreditar, neste dia chorei mas de felicidade, alguém se tinha dado a tanto trabalho por mim. Diverti-me imenso. (momento de Oscar: Gostava de agradecer ao Luis, à minha familia e aos meu amigos que naquele dia conseguiram-se comportar como amigos)
Quanto a este ano já passou e passou-se...eu não estava bem, não me sentia bem, não atraí energias positivas, e nem consegui estar feliz pelo facto de fazer anos, até me esqueci durante o dia que fazia anos...será que cresci? será que passei a ser um adulto e passei ao estado chato? Será que é medo de ficar velha? acho que não...nem quero pensar nisso. Vou culpar o S. Pedro e a linda chuva que me mandou, o brilhante céu preto, e os leves ventos ciclónicos, mas de uma coisa me posso orgulhar, eu ontem não chorei...estive quase...mas não chorei.




2 comments:

Dona Telo said...

É... conheço bem as depressões aniversariantes.

Pessoalmente acho que se dá uma importância exagerada à celebração de certas datas (piores top 5: Natal, Passagem de Ano, Carnaval, Aniversário do próprio/a e Aniversário do cão... porquê? Porque somos "obrigados" a divertir-nos, quer estejamos para aí virados, quer não. Bem, talvez o aniversário do cão seja excepção...).

Mas a verdade é que a celebração de mais um ano pode ser vista do lado positivo: não é «tenho mais um ano :-( » mas sim «uau, consegui sobreviver a mais um ano, e este já cá canta!»... sempre a velha teoria do copo meio cheio ou meio vazio.

E no teu caso, o histórico recente até parece que correu relativamente bem (os 2 anos anteriores são dos "memoráveis", pela positiva). Talvez seja como dizes: demasiadas expectativas e esqueceres-te que este "é o teu dia" e que o importante é que te sintas bem contigo própria.

Anyway, todos os dias são efectivamente "aniversários" e podemos ir festejando quando nos apetecer e ficar neuras quando nos apetecer, sempre neste yellow brick road que a algum lado há-de ir dar...

Mais uma vez, beijos e parabéns. E olha... eu não fui dos que comprou prenda porque se sentiu na obrigação... sou dos "outros", daqueles que não falaste, que sincera e alegremente tiveram o prazer de passar uns tempos a escolher, preparar e depois entregar a prenda, por mais insignificante ou mal escolhida que tenha sido. A intenção era boa e penso que isso tb conta (pelo menos, dizem que dá pontos no inferno...).

70s said...

Míuda.... tantos anos depois... e com o devido atraso como manda a lei (a minha, claro, que sou péssimo com nomes, datas e afins)... os devidos Parabéns...

É bom voltar a rever uma das poucas caras que recordo com saudade do tempo do IADE.

Bjocas e Parabéns atrasados
70s