Sunday, 23 November 2008

Sonho Meu

Muitas pessoas se queixam que não sonham ou que não se lembram do que sonham. 1º todos nóssonhamos e todos os dias, o que acontece é que a maior parte das pessoas não se lembra porque não acorda a seguir ao sonho. Felizmente isso não acontece comigo eu sonho muito e lembro-me de quase todos eles. O sonho significa que estamos a tentar resolver a nossa vida, o que é lindo é a forma como o nosso subconsciente transforma os nossos problemas em histórias surreais. Os meus sonhos são autênticas miniséries, umas de terror, outras policiais e suspense, raramente são romanticos ou comédias. Talvez por isso eu acorde porque muitas das vezes eu tenho muito medo. Sim alguns até foram atenticos pesadelos.
Durante uma fase menos boa na minha vida em que me envolvi com alguns homens menos correctos que me trataram como se eu fosse uma...enfim, quase todos os dias sonhava em que alguém me queria matar, era uma tortura de fugas e tentar descobrir esconderijos em sitios vazios. Uma das vezes eu estava no deserto e apareceu um homem vestido de preto num cavalo preto e começou e a tentar matar-me com uma faca genero AliBaba. Como podem imaginar o deserto não tem muitos sitios onde uma pessoas se possa esconder, por isso só tinha que correr na areia e tentar não morrer. Outro sonho que tive eu estava com um grupo de amigos dentro do carro sentada no banco de trás. O meu amigo que estava no lugar do condutor resolveu fazer máximos a um prédio de um bairro social, a uns miudos estavam na varanda. Eu tentei impedi-lo pois sabia que o prédio era muito mal frequentado, mas foi em vão e tarde demais pois uns segundos depois apareceram os ditos rapazes com metralhadoras e começaram aos tiros em todo o carro. Passei quase o sonho todo a tentar que as balas não me acetassem, recomecei-o várias vezes para evitar a minha morte até que acordei a chorar. Dos últimos que tive nessa fase, foi muito parecido a um acontecimento real apesar de se ter passado muito tempo depois- Eu estava num cinema que de repente foi tomado por um grupo de terroristas. Foi uma tortura porque de tempos em tempos levavam algumas pessoas e ninguem sabia para onde iam,. Demorou uma eternidade e sempre que entravam na sala havia a dúvida de quem seria o próximo a ir, mais uma vez eu tentava fazer-me de "fininha" para eles não me verem. O sonho foi tão longo e a espera foi tão agoniante que cheguei ao ponto de me entregar pois não aguentava mais aquela pressão.
Quando a minha vida começou a ficar mais calma e mais estável, penso até que já estava com o Luis, tive um sonho completamente surreal, é claro que a sua interpretação só foi possivel com a ajuda de um profissional. Eu estava numa festa numa casa genero de praia e passava-se de noite. Sai da festa para ir da uma volta de bicicleta, quanto mais me afastava da casa o caminho ia ficando mais dificil, deixou de ter estradas e eu já estava em cima de rochas, ia também ficando cada vez mais escuro e sombrio. Cheguei a um pantano e não tive outro remédio senão continuar a pé. Depois de muito tempo a caminhar com água pelo joelho, algo bateu-me nas pernas. Era um bébé a boiar, estava vivo e era lindo, agarreio-o de imediato e encostei-o a mim para o protejer. Fiquei tão feliz por o ter encontrado que pedi para não encontrar os pais para que ele fosse meu! Continuamos a caminhar pelo pantanos e derepente do meu lado direito pressenti umas coisas a boiar...eram pessoas nuas, homens e mulheres...mortos...estavam todos inteiros mas mortos. Calculei que dois deles fossem os pais do bébé...mas não cheguei a descobrir porque entretanto acordei. Para os mais curiosos aqui vão os significados, eu era o bébé, foi numa fase em que estava a renascer. Os mortos foram pessoas do meu passado que estava a entrerrar.
Dos sonhos mais fantásticos que tive foi passado numa casa junto à praia. Parecia um autentido filme de hitchcock. A casa fica junto a uma praia como se fosse a casa do faroleiro e desta vez o sonho passou-se durante o dia. eu estava a vir do pontão e apercebi-me que os meus gatos tinha fugido e estava, nas rochas que ligavam a minha casa ao mar. Tentei desesprada-me coloca-los para dentro, mas apareciam cada vez mais gatos. Quando finalmente os gatos foram salvos comecei a caminhar pela casa. Lembro-me de ter havido uma cena na sala de jantar mas neste momento a memória já não é muito boa para vos descrever. Passei para a sala que era rodeada de vidro e conseguia-se ver o mar...era lindo, estavam lá os pais do Luis e estivemos a olhar à janela que estava manchada de sal e água e a visibilidade não era muita. Deixei-os e estrei num genero de armário de casacos, mas o que estava lá era roupas antigas deixadas pelos antigos donos, desde chapeus, estolas, plumas, etc. Eu estava fascinada porque adoro roupa e tralha. Fechei a porta e fui para um quarto vazio onde estavam umas miudas aparentemente minhas amigas, mas até hoje não sei quem são, nesse quarto havia umas escadas de madeira e o comentário que fiz foi que as garbadines só podiam ser vestidas/ despidas lá em baixo, mas eu não tive coragem de descer as escadas, alias tive muito medo, sei que davam a uma porta que dava para sair de casa. Mas como vos disse eu tive muito medo de descer. Então resolvi continuar e entretanto ja estava numa zona que parecia uma garagem comum de um prédio e resovi abrir outra porta que dava para uma garagem gigantesca, mas abandonada, estava num péssimo estado e de repente aparaceu um grupo de pessoas que começaram a reclamar comigo e a virem atrás de mim, fingi que não tive medo mas estava apavorada e mesmo depois de ter saido da garagem continuavam atrás de mim entretanto acordei. A casa era eu e até hoje ainda não descobri o significado da escada de madeira clara.
Finalmente consegui escrever os meus sonhos e já não era sem tempo porque sei que já esqueci alguns pormenores importantes.
Beijinhos

Até que enfim...

Vá digam todos ao mesmo tempo...Até que enfim!!...pois ao fim de quase 1 anos, aqui estou eu de volta a escrever no meu blog. Não é que não tenha imensa coisa para contar é mesmo por falta de tempo. Também peco por não me organizar tenho sempre imensos temas interessantes para comentar que nem sei por qual começar. Para ser sincera hoje nem tenho nada de especial para dizer, tive um dia não, acordei tarde, passei a maior parte do dia a lamentar-me e não fiz nada de especial. Comecei as minhas compras de natal e já estou assustada com o dinheiro que vou gastar, mas quero começar com tempo e não ficar aflita como nos outros anos.
Para me ajudar vou fazer uma lista dos temas que vou comentar num futuro próximo:
os meus sonhos - parecem autênticos filmes
as minhas trapalhadas e gafes - não sei se escritas são tão engraçadas como foram vividas e contadas.
Fiquem por ai...porque o blog vai voltar a ter vida!!!!
Beijinhos e obrigada pelo apoio de todos